Destaques Mãos de Minas Online

Após o lançamento do portal de vendas Online da Mãos de Minas, cada vez mais são lançadas ferramentas que irão proporcionar maior divulgação dos produtos dos artesãos.

Com um atendimento personalizado de apoio às dúvidas do Artesão, a Mãos de Minas Online, se diferencia dos demais concorrentes, proporcionando maior confiança e prestação de serviços para todos os lojistas cadastrados no site.

Nesta semana, a Mãos de Minas lançou o campo de produtos em destaques, na página principal do site. Onde serão selecionados de 4 a 8 produtos para ficarem em exposição na página principal.

O intuito é ter uma maior divulgação dos produtos dos artesãos, que poderão ser selecionados como destaques, os que mais venderem, novos produtos cadastrados, etc.O site da Mãos de Minas Online (www.maodeminasonline.org.br) teve seu lançamento em abril e já conta com mais de mil produtos artesanais publicados e disponíveis para vendas.

Mãos de Minas abre suas portas para o artesanato mineiro

Depois da autorização no ano passado pela Secretaria Estadual da Fazenda de que o Micro Empreendedor Individual pode retornar à Mãos de Minas como associado, a Central está recebendo de volta em seu quadro de associados dezenas de microempresários, continuando assim a ter os benefícios das ações em conjunto – Central de Compras, desconto na Feira Nacional, consultorias, exportação de artesanato.

Agora, com o lançamento do site de e-commerce da Mãos de Minas – www.maosdeminasonline.org.br, os artesãos independentes e os formalizados como MEI, poderão vender seus produtos para todo o Brasil usando para isto a chancela Mãos de Minas. O E-commerce de Artesanato tem sido visto como uma das principais tendências lucrativas, visto que ainda existem poucos sites especializados em vendas segmentadas de produtos inteiramente artesanais. Visando este crescimento e tendência, a Mãos de Minas entra no mercado com a promessa de ser diferencial de todos as outras lojas virtuais disponíveis no mercado.

NOTA FISCAL
Outra vantagem é que com o advindo da Nota Fiscal Eletrônica, o artesão do interior tem um benefício muito maior, pois na sua cidade utilizando a Internet, pode solicitar a Nota Fiscal para sua venda, sem ter que se deslocar para a Divisão de Tributação da sua cidade, que normalmente não funciona no horário comercial de 09 a 18 horas e receber a Nota Fiscal sem ter que sair de casa.

Se você é um MEI e principalmente se mora no interior do Estado, não perca esta oportunidade de estar presente no mercado. Mais informações: www.maosdeminas.org.br ou no telefone (31) 3282 8313

Artesão mineiro, cadastre-se no Pouso e Prosa – Roteiros de Artesanato

Pouso e Prosa é um site que tem como finalidade maior a divulgação gratuita do artesão mineiro. Para isto está finalizando o cadastramento dos 853 municípios, dando informações sobre a cidade, como chegar, serviços oferecidos, belezas naturais, pontos turísticos, hotéis, restaurantes e principalmente o artesão.

As informações sobre as cidades, apesar de termos demorado dois anos para a conclusão, foi fácil, mas o artesão, se ele não se manifestar não temos como cadastra-lo. Sendo assim artesão mineiro – mostre sua cara!!! O cadastro é muito fácil e você poderá fazê-lo no site www.pousoeprosa.com.br gratuitamente.

O site tem tido mais de 30.000 acessos dia, com as pessoas ávidas a procura do artesão.

Bordado Filé vira Patrimônio Imaterial de Alagoas

Foto: Filé Alagoano. Fonte: Google/Imagem

Registro foi solicitado por oito associações de artesãs apoiadas e orientadas pelo Sebrae.

Maceió – O Bordado Filé foi registrado como patrimônio imaterial alagoano. A decisão unânime foi concedida por meio de uma reunião no Museu da Imagem e do Som (MISA), do Conselho Estadual de Cultura de Alagoas, na semana passada.

A decisão foi tomada pelas Secretarias de Estado da Cultura (Secult), do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande) e da Comunicação (Secom), pela Academia Alagoana de Letras, pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), pela Rede Alagoana de Pontos de Cultura, pelo Serviço Social do Comércio (Sesc/AL), pelo Sebrae em Alagoas e pela Associação dos Folguedos Populares de Alagoas (Asfopal), membros do Conselho Estadual de Cultura que estavam presentes na reunião.

O registro foi solicitado por oito associações de artesãs apoiadas e orientadas pelo Sebrae em Alagoas. Elas estão localizadas no entorno do complexo lagunar Mundaú-Manguaba, abrangendo os municípios de Maceió e Marechal Deodoro.

Vanessa Fagá Rocha, gerente de Turismo e Economia Criativa do Sebrae em Alagoas, declarou que o momento é muito especial. “Esse reconhecimento do Conselho de Cultura do Estado representa um passo importantíssimo para cada artesã que produz o Bordado Filé. É o registro de um patrimônio que vem sendo feito com dedicação, arte e criatividade há gerações”, afirmou.

“Esse reconhecimento alavanca os produtos desses artesãos, tirando-os da obscuridade e do esquecimento”, ressaltou Marta Melo, consultora do Sebrae em Alagoas, ao declarar que a instituição entende que o filé é um dos maiores ícones da cultura alagoana.

A presidente do Instituto Bordado Filé, Edlene Maria Xavier, reforça a importância do reconhecimento. “Estamos muito felizes, esperávamos por isso há muito tempo. Inclusive, temos algumas parcerias que vão além do nosso mercado estadual, como aquela com a grife Cantão, que nos contratou novamente para fazer as peças do showroom da marca para o verão 2015”, explicou a artesã.

Patrimônio Imaterial
Patrimônio Cultural Imaterial é uma concepção que abrange as expressões culturais e as tradições que um grupo de indivíduos preserva em homenagem à sua ancestralidade, para as gerações futuras. Como exemplos de podem-se citar os saberes, os modos de fazer, as formas de expressão, celebrações, as festas e danças populares, lendas, músicas, costumes e outras tradições.

“Depois do reconhecimento do Camarão Bar das Ostras e do Doce de Caju de Ipioca, reconhecer expressões do nosso artesanato mostra o importante momento de registro dos saberes dos alagoanos”, complementa Vanessa Fagá Rocha.

Fonte: Marcela Sampaio / Agência Sebrae de Notícias – Alagoas