Verão 2014: pesquisa revela otimismo no Turismo

Uma enquete realizada pelo Instituto de Pesquisas, Estudos e Capacitação em Turismo (Ipeturis) revelou que quase metade das agências de viagens e operadoras de turismo do País está com expectativa positiva para a atual temporada de verão. Segundo o estudo, 45,2% das empresas acreditam que a movimentação de viajantes será maior em comparação com a temporada de verão anterior.

Segundo o levantamento, o crescimento do movimento de turistas deve ficar em torno de 24,5%. “Das empresas que projetam aumento da movimentação, mais de 60% preveem alta entre 10% e 30%”, antecipa o diretor do Ipeturis, Marciano Freire. Os principais fatores que contribuem para o otimismo são as ações comerciais e de divulgação empreendidas pelas empresas (18,2%), a facilidade de pagamentos de pacotes e serviços turísticos (15,6%) e os preços promocionais para o verão (13%).

A pesquisa, que ouviu 368 empresas do segmento em 24 Estados brasileiros e no Distrito Federal, revela também equilíbrio na preferência dos turistas entre os destinos nacionais (49,3%) e internacionais (50,7%). “Nos destinos turísticos internacionais mais procurados, os motivos mais citados são compras, parques temáticos e atrações culturais. No caso dos destinos brasileiros, os atrativos são a combinação sol e praia e as belezas naturais”, conclui Freire.

As empresas apontaram também os destinos com maior expectativa de procura nesta temporada de verão. Confira abaixo a lista dos mais mencionados:

Destinos Nacionais
Fortaleza – 23,6%
Rio de Janeiro – 16,6%
Natal – 11,5%
Maceió – 10,9%
Salvador – 9,9%

Destinos Internacionais
Orlando – 15,1%
Paris – 14,4%
Miami – 14,2%
Buenos Aires – 11,5%
Nova York – 10,4%.

Fonte: Panrotas

Turismo investe em atendimento bilíngue para a Copa

Entre as ações de comunicação estão os novos Centros de Atendimento ao Turista (CATs) e o ensino de idiomas a profissionais ligados ao setor, como taxistas, agentes de turismo, além de policiais civis e militares, guardas municipais e corpo de bombeiros.

O atendimento em idioma estrangeiro é uma ação prioritária para o Ministério do Turismo para receber bem os turistas que desembarcam no país durante Copa do Mundo de 2014. Com o objetivo de atender melhor o visitante de fora e o turista brasileiro, o MTur investe em duas ações de grande repercussão: a expansão dos Centros de Atendimento ao Turista (CATs) e o ensino de idiomas a profissionais ligados ao turismo.

O aprendizado de um segundo idioma, como o inglês e o espanhol, além da Língua Brasileira de Sinais (Libras) está sendo realizado pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, o Pronatec Turismo. Entre os profissionais beneficiados estão taxistas, agentes de turismo, além de policiais civis e militares, guardas municipais e corpo de bombeiros, todos em contato direto com os visitantes. Além do curso de idiomas o Pronatec oferece mais 44 cursos com foco do atendimento ao turista.

Ao investir na comunicação com o turista, o MTur atende a uma das principais reivindicações dos estrangeiros que visitaram o país durante a Copa das Confederações: melhorar o atendimento em língua estrangeira. Durante o torneio, metade dos turistas estrangeiros que visitaram o país manifestaram dificuldades em se comunicar, de acordo com uma pesquisa do Ministério do Turismo (MTur), feita em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). No período foram entrevistados 1.338 turistas estrangeiros em aeroportos brasileiros.

A segunda ação de mobilização do Ministério do Turismo visa a expansão dos Centros de Atendimento ao Turista (CATs), locais especializados ao atendimento e orientação dos turistas em mais de um idioma. O MTur reservou R$ 37 milhões para investimento em 105 centros, todos em estados-sede da Copa, em operação até a Copa do Mundo. A ação é uma parceria com estados e municípios, que investem mais R$ 3,3 milhões.

O investimento cobre reformas de CATs antigos, construção de novas unidades fixas e investimentos em unidades móveis, como vans e patinetes elétricos, que irão circular pelos principais centros de concentração de turistas. Em São Paulo, dois patinetes elétricos vão circular nos entornos do Arena Corinthians para atender aos turistas, em uma experiência inédita no país.

São esperados 600 mil turistas estrangeiros para a Copa do Mundo, segundo o Ministério do Esporte, um número bem maior do que os estrangeiros que vieram para a Copa das Confederações (25 mil), segundo o Ministério do Turismo.

Fonte: ASCOM Ministério do Turismo

Ranking mostra transparência das cidades-sede da Copa

Brasília, Porto Alegre e Belo Horizonte foram os destaques positivos nos Indicadores de Transparência Municipal das cidades-sede da Copa do Mundo, segundo o Instituto Ethos. Os Indicadores de Transparência, umas das ações do projeto Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios, são uma ferramenta que permitem medir a transparência e os canais de participação da população em relação aos investimentos públicos para a realização do Mundial de 2014. As três cidades superaram os 70 pontos no índice que vai de zero a 100. O destaque negativo ficou por conta de Natal, que diminuiu a pontuação em relação à primeira edição, de novembro de 2012.

Na primeira edição, nenhuma das 12 cidades-sede alcançou 50 pontos, sendo as mais bem colocadas Porto Alegre (49,9) e Belo Horizonte (49,8). Na nova edição, quem lidera o ranking é Brasília, com 77,2 pontos, seguida por Porto Alegre, com 71,8, e Belo Horizonte, com 70,3 pontos, sendo as três consideradas com “alto nível de transparência”. O Rio de Janeiro também teve pontuação acima de 50, com 50,3 pontos. As piores notas foram de Natal, com 12,2, Salvador, com 19,4, e Fortaleza, com 23,2 pontos.

Segundo o instituto, o resultado negativo de Natal foi consequência do fechamento da Sala de Transparência da Copa, local onde a população tem acesso às informações sobre o campeonato. A capital do Rio Grande do Norte foi prejudicada, também, pelas substituições no comando da Secretária Municipal da Copa de Natal. Confira, abaixo, a pontuação das 12 cidades-sede no último levantamento:

Brasília – 77,2
Porto Alegre – 71,8
Belo Horizonte – 70,3
Rio de Janeiro – 50,3
Cuiabá – 49,0
Curitiba – 45,8
São Paulo – 38,1
Recife – 35,5
Manaus – 25,1
Fortaleza – 23,2
Salvador – 19,4
Natal – 12,2

Fonte: Panrotas

Cresce a intenção do brasileiro de viajar para o Sul

Estudo do Ministério do Turismo mostra que a região ultrapassou o Sudeste na intenção de viagem do brasileiro, pela primeira vez no ano, ficando atrás apenas do Nordeste.

A Região Sul ultrapassou a Região Sudeste e passou a ocupar a segunda posição entre os destinos preferidos dos brasileiros. É o que revela uma pesquisa do Ministério do Turismo, realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas. O Nordeste se mantém líder com 40,1%, seguido pelo Sul com 23,3%, Sudeste 21,7%, Centro-Oeste 8,3% e Norte 6,6%. Este ano, foi a única vez no ano que o Sul ultrapassou o Sudeste.

A última Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, de dezembro, monitora a intenção de viagem do brasileiro pelos próximos seis meses, o que inclui períodos de alta temporada como as férias de Janeiro, o Carnaval e o período de Copa do Mundo. De acordo com o estudo, 23,3% dos viajantes em turismo pelo Sul virão de outras regiões do país.

De acordo com a pesquisa, realizada mensalmente em Brasília, Salvador, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte, mais de 37% dos entrevistados pretendem viajar nos próximos seis meses pelo Brasil e exterior, o maior índice do ano.

O percentual de interessados em destinos nacionais também foi recorde anual: 76,2% frente aos 22% que devem desembarcar em outros países. A pesquisa, realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, mostra também que 53,2% dos entrevistados pretendem viajar de avião. Em dezembro de 2012 eram 43,7%. O segundo meio de transporte mais utilizado será o automóvel, com 35%, e o ônibus, com 7,8%.

A maioria dos entrevistados (48%) pretende hospedar-se em hotéis e pousadas e uma parcela menor (39,8%) afirma preferir casa de parentes e amigos.

Fonte: Ministério do Turismo

Vai sair de férias? Confira o que levar na bagagem de mão

Mais de 7,2 milhões de brasileiros viajaram para outros países ao longo de 2011, de acordo com o último levantamento divulgado pelo Ministério do Turismo. Durante as férias deste início de ano, é possível que mais de 500 mil pessoas embarquem para o exterior. Como em muitos países é obrigatória a contratação de um serviço de seguro ou assistência viagem, a Assist Card Brasil, integrante do maior grupo de assistência ao viajante do mundo, preparou algumas dicas sobre o que pode ser levado na bagagem de mão para você não perder tempo no aeroporto:

Bagagem de mão em voos domésticos
Nos voos domésticos, aqueles que acontecem dentro do próprio país, são permitidos levar bagagem de mão – sacolas, bolsas de mão, pastas, maletas, entre outros – com peso máximo de 5 kg e com até 115 cm de dimensões cúbicas. Isso significa que a somatória do comprimento, largura e altura não pode ser superior a esse limite.

A bagagem de mão deve ser acomodada nos compartimentos acima das poltronas ou embaixo do assento. Outro detalhe importante é que a bagagem não pode, em nenhuma hipótese, incomodar os outros viajantes, nem representar risco de segurança aos demais durante o voo.
Bagagem de mão em voos internacionais

Nas viagens internacionais, os limites dependem de regras e convenções estabelecidas por tratados regionais, de comunidades de países e continentes. As maiores restrições estão relacionadas a líquidos.

Em frascos com capacidade de até 100 ml, devem ser colocados em embalagem plástica transparente, vedada, com capacidade máxima de 1 litro, não excedendo as dimensões de 20 x 20 cm. Acima de 100 ml não é permitido o transporte, mesmo que o frasco não esteja cheio. A fiscalização do aeroporto pode, nesses casos, apreender o produto e impedir seu embarque.

A embalagem plástica que envolve o frasco deve ser apresentada na inspeção de embarque de passageiros. Também é importante alertar que é permitida somente uma embalagem plástica por passageiro.

Bagagem de mão nos EUA
O turista que vai aos Estados Unidos precisa pagar uma taxa de franquia, que sofre variação de acordo com o local de destino. Mas ao viajar para este destino – e também para a África do Sul – é possível levar até dois volumes, cada um com peso máximo de 32 kg e dimensões cúbicas (somando o comprimento, largura e altura) de até 158 cm. Estas regras não têm validade para as bagagens de menores de dois anos, pois estes não têm direito à franquia, nem ao transporte de pets.
Cosméticos na bagagem de mão

Qualquer tipo de cosmético pode ser levado na bagagem de mão. Produtos de higiene pessoal, como escova e pasta de dente, não podem faltar, principalmente em viagens longas. Se for levar perfume, o turista não pode exceder o limite de 100ml. Além disso, o conteúdo precisa ser acondicionado em embalagem plástica e transparente.

Somente os produtos que o turista comprar no free shop do aeroporto, mesmo que excedam os 100 ml, podem ser levados com você na bagagem de mão. Entretanto, para evitar que a fiscalização do aeroporto retenha sua compra, mantenha o produto em sua embalagem plástica original e guarde o recibo de compra.
O que não levar na bagagem de mão

Depois dos atentados terroristas de 11 de setembro (2001) nos EUA, nenhum aeroporto do mundo permite o transporte de objetos cortantes – como tesoura, lixa, canivete, cortador de unhas – em sua bagagem de mão, bem como líquidos com quantidade superior a 100ml. Se precisar levar algum desses utensílios, coloque na mala grande a ser despachada.

Sobre a Assist Card
A Assist Card é a maior empresa de assistência viagem do mundo, há mais de 41 anos no mercado oferecendo soluções locais a emergências no exterior, sem nenhum custo adicional para o seu cliente. Atualmente, a companhia esta presente em 110 países, o que confere a habilidade única de atuar em minutos em quase qualquer lugar do mundo. Por ano, a empresa realiza mais de 400 mil atendimentos a pessoas em viagem.

A companhia opera 24 horas, todos os dias, faz o atendimento no idioma dos seus sete milhões de clientes em todo o mundo e oferece acesso a mais de 155 mil prestadores de serviços de assistência médica e odontológica internacional, jurídica e de bagagem. Além desses serviços, a companhia também conta com seguros de Cancelamento de Viagem, Acidentes Pessoais e Bagagem entre outros.

Turismo fatura 8,6% a mais no terceiro trimestre de 2013

Fonte: Boletim de Desempenho Econômico do Turismo

Fonte: Boletim de Desempenho Econômico do Turismo

O segmento de parques e atrações turísticas (18%) foi o que registrou o maior aumento, seguido pelo setor aéreo (12,2%) e pelos organizadores de eventos (8,1%).

O faturamento das empresas do setor de turismo cresceu, em média, 8,6% no terceiro trimestre de 2013 na comparação com o mesmo período de 2012.  Foi o melhor desempenho registrado no ano passado, segundo o Boletim de Desempenho Econômico do Turismo do Ministério do Turismo.

O período de julho a setembro, superou o primeiro trimestre e o segundo trimestre de 2013, que tiveram crescimento de 2,8% e 4,8% respectivamente. Os empresários ouvidos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) atribuíram o resultado a fatores como os investimentos realizados nos negócios e à maior divulgação dos atrativos e roteiros turísticos.

Entre os sete segmentos pesquisados, o que registrou maior faturamento, de 18%, foi o de parques e atrações turísticas. O mesmo que, no ano passado, foi beneficiado com isenção tributária para importação de equipamentos, item da agenda de desoneração do setor proposta pelo MTur à área econômica do governo.

“Este resultado é mais uma confirmação da importância do turismo para o desempenho da economia brasileira que, no mesmo período, cresceu 2,2%. Verificamos também que a desoneração tem impactado nos resultados do setor”, avalia o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

O segundo segmento em aumento de faturamento no trimestre foi o de transporte aéreo, com 12,2%, seguido pelas organizadoras de eventos, com 8,1%, e das agências de viagens, com 7,9%.

Os menores percentuais foram registrados pelos operadores de turismo (4,5%), turismo receptivo (3,5%) e meios de hospedagem (2,5%). O acirramento de concorrência e a majoração de custos foram apontados pelos entrevistados como limitadores do crescimento.

A pesquisa ouviu gestores de 713 empresas com 67,8 mil empregados e faturamento de R$ 8 bilhões no terceiro trimestre de 2013.

Fonte: Ministério do Turismo

Reunião com ambulantes: carnaval em São João del-Rei

Acontece no próximo dia 10 de janeiro, ás 14h, no 38º Batalhão da Policia Militar, localizado na Av. Leite de Castro, no bairro fábricas, a reunião com ambulantes que pretendem trabalhar durante o carnaval em São João del-Rei.

Na pauta da reunião serão discutidos datas, prazos, documentos e taxas, além de informações sobre o cadastramento dos ambulantes na Secretaria de Finanças, além de locais de circulação e tendas.

Serviço
Que: Reunião com os vendedores ambulantes do carnaval 2014
Quando: 10 de janeiro, às 14h
Onde: 38º batalhão de Policia Militar, Av. Leite de Castro – Fábricas
São João del-Rei – Minas Gerais

Embratur patrocina ações culturais: saiba como participar

O prazo para a apresentação de projetos culturais visando o patrocínio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) se encerra na próxima sexta-feira, dia 10 de janeiro. Para ser aprovada, a proposta tem de seguir as estratégias do Plano Aquarela, que define as diretrizes da promoção turística do Brasil no mercado externo. A entidade tem R$ 8 milhões para ações que contribuam para a divulgação turística internacional do Brasil.

As ações de patrocínio deverão acontecer nos países considerados prioridade para a Embratur, incluindo Rússia e China. Até agora, já foram apresentadas propostas para os seguintes mercados: França, Alemanha, Bélgica, Suíça, Argentina, Reino Unido, Uruguai, Estados Unidos, Colômbia e Chile. Os projetos deverão ser executados entre 14 de abril e 31 de dezembro de 2014.

“Os patrocínios irão potencializar a divulgação dos destinos brasileiros em 2014, ano que o País deverá receber sete milhões de estrangeiros”, explicou o presidente da Embratur, Flávio Dino.

Após o prazo de inscrição, começa a fase de análise das propostas pela Comissão Técnica do Patrocínio. Nesta fase, os projetos inscritos passam pela verificação do preenchimento dos pré-requisitos previstos no edital e por análise técnica. Os projetos devem, obrigatoriamente, abordar questões de cultura, sustentabilidade e cidadania.

Para acessar o edital, clique aqui.

Fonte: Panrotas

Governo de Minas estabelece a gastronomia como política pública

Com a nova reforma administrativa implementada pelo governador Antonio Anastasia, a gastronomia adquire, a partir de janeiro, status de superintendência, dentro da estrutura da nova Secretaria de Estado de Turismo e de Esportes. A pasta centralizará as competências em atividades relacionadas à gastronomia.

“Será tratada como gestão de política pública, abrangendo ações articuladas nas áreas econômica, social, turística e cultural”, enfatizou o secretário de Estado de Turismo. Com isso, a sua gestão ganha maior autonomia, agilidade e intensidade, como vetor de desenvolvimento. “O grande trunfo será a possibilidade de acelerar a sua diversificação, ancorada na internacionalização e na interiorização da gastronomia. Não são trabalhos excludentes, e sim complementares”, justificou o secretário.

Outra grande novidade é que o Circuito Cultural da Praça da Liberdade recebe de presente o polo da gastronomia, a ser integrado pelo eixo da rua da Bahia. “Em frente ao Minas Tênis Clube, um casarão será restaurado para transformar-se em Agência de Fomento à Gastronomia Mineira”, revelou o secretário.

O local será muito mais do que ponto de divulgação desse bem imaterial mineiro que é a culinária. O novo espaço vai agregar eventos, demonstrações, intercâmbio de receitas da alta gastronomia com os ingredientes e pratos típicos, de raiz. Também agregará conhecimentos e pretende ser meio difusor e de troca de experiências da arte e do saber sobre aromas e sabores.

O secretário anunciou também a implementação da política de regionalização do variado cardápio espalhado pelo Estado. Serão exploradas e incrementadas como negócios a criatividade e as práticas da cozinha de Minas por região. “A diversidade culinária corresponde ao exercício da política de governo de diversificação da economia mineira, ainda dependente da mineração”, concluiu.

Entre as medidas anunciadas também está o lançamento de um site (www.mgoestadodagastronomia.com.br) que abrigará informações sobre gastronomia mineira, receitas, notícias e eventos. Na página haverá um espaço para cadastro dos empreendimentos de gastronomia e apoio à tradução de cardápios.

Fonte: Agência Minas

Centro do Rio desponta como opção para congressos

Segundo o Rio Convention & Visitors Bureau (Rio CVB), o centro da capital fluminense é a segunda região que mais concentra eventos na cidade, perdendo apenas para a Barra da Tijuca. Dos 160 eventos realizados na cidade, em 2013, 36 aconteceram na área, gerando 35 milhões de dólares de receita estimada e público de 30 mil participantes, aproximadamente.

Juntos, os espaços de convenções da região somam capacidade para até 20 mil pessoas. Se destaca, entre eles, o Pier Mauá, o único que pode receber eventos de grande porte, para até 10 mil pessoas. Entre os espaços voltados para iniciativas de médio porte estão o Sul América (até seis mil pessoas), o Lapa 40º (até duas mil pessoas) e o Rio Scenarium (até 880 pessoas), sendo os dois últimos com perfil focado na programação social de congressos e feiras.

Já entre os gargalos, a Zona Sul é a região que mais carece de espaço. De acordo com o presidente da entidade, Alfredo Lopes, em 2013, dos 160 eventos que a cidade recebeu, 70 ocorreram na região.

“Estamos perdendo eventos de grande porte devido à falta de espaço. Hoje, 68% dos hotéis estão na Zona Sul, enquanto o Riocentro fica na Barra da Tijuca. O deslocamento de um lugar para o outro pode levar uma hora e meia”, conta Alfredo Lopes, sugerindo a prefeitura do Rio estudar a viabilidade de locais como os fortes do Leme e do Posto Seis, Marina da Glória e o Centro de Convenções do Hotel Nacional, que pode ser revitalizado independente do hotel.

Fonte: Panrotas