Kissimmee busca parceiros para comercializar rodeios

Dallas, Las Vegas e Calgary. Quando o assunto é rodeio na América do Norte, as cidades mais lembradas em questões técnicas e de infraestrutura são estas – as duas primeiras nos Estados Unidos e a seguinte, no Canadá. O Departamento de Desenvolvimento de Turismo do Condado de Osceola (Flórida, Estados Unidos), do qual a cidade de Kissimmee faz parte, realiza um famtour com integrantes de associações ligadas ao esporte no Estado de São Paulo, em especial da cidade de Barretos, que realiza o maior rodeio do Brasil, para avaliarem o produto. O passo seguinte é encontrar parceiros que abracem a ideia e incluam os rodeios nos pacotes turísticos.

Antes da popularização dos parques da Disney, a economia de Kissimmee era baseada em plantação de laranjas e criação de gado. Onde há criação de gado, a probabilidade da realização de rodeios de qualidade é maior. Porém, conforme grande parte do volume de investimentos na região voltou-se para as atrações da Disney, as criações se dissiparam e o rodeio, que tinha relevância em todo o país, passou a ser um mero coadjuvante.

Outro motivo para a participação da comitiva barretense é o intercâmbio: de informações e atletas, o que elevaria a qualidade do evento e, por sua vez, a visibilidade. De acordo com o presidente do Sindicato das Entidades Empresas Promotoras de Eventos de Rodeio do Estado de São Paulo, Leonardo Vidal, dos dez melhores peões boiadeiros do mundo, seis são brasileiros. “A ideia é também trazer atletas para se apresentarem em nossa arena”, destacou a gerente de Produtos de Mercados Internacionais do Departamento de Desenvolvimento de Turismo do Condado de Osceola – mais conhecido como “Experience Kissimmee” –, Ana Gonzalez.

A representante sênior de Vendas para América Latina do Departamento de Desenvolvimento de Turismo do Condado de Osceola, Melissa Basílio, também está empolgada com a forma como o produto será trabalhada de agora em diante. “Kissimmee é um destino muito procurado por brasileiros por causa dos parques e das compras. Os rodeios serão uma alternativa, principalmente porque a média de permanência das famílias aqui não é menor do que dez dias.”

Para quem?
Outra questão levantada por Melissa é o público que pode visitar as atrações. “É para todas as idades. Até brincamos no escritório que Kissimmee é um dos poucos destinos que oferecem, ao mesmo tempo, uma plena tranquilidade e emoção, adrenalina” conta, ao passo que arremata: “quem vier, verá um evento muito bem organizado”.

Ana Gonzalez apresentará mais informações sobre os rodeios na cidade durante o Pow Wow, que será realizado entre os dias 5 e 9 de abril, em Chicago (Estados Unidos). “As pessoas, geralmente, associam rodeios aqui nos Estados Unidos às cidades de Dallas e Las Vegas (que abriga o evento mais importante do país). Pretendemos apresentar este é um produto como algo complementar às atrações.”

Estrutura
A cidade de Kissimmee, que busca um representante no Brasil, abriga o Silver Spurs Arena, que tem capacidade para 7.451 pessoas sentadas e 3,5 mil no piso do estádio. Construído em 2003, o espaço teve investimento de US$ 33 milhões e precisa de 110 caminhões carregados de areia para cobrir o chão da arena.

Mais informações: silverspursrodeo.com.

Fonte: Panrotas. O Portal PANROTAS viaja a convite do US Commercial Service e Experience Kissimmee, com assistência Vital Card

Deixe uma resposta