Copa proporciona período de alta temporada para setor hoteleiro no Brasil

Ocupação dos hotéis durante o mundial chega a 77% nas cidades-sede. Nas vésperas de jogos e no dia das partidas, a lotação chegou a 97%

Segundo estudo realizado pelo Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), a taxa de ocupação dos hotéis das 12 cidades-sede da Copa do Mundo chegou a 77% nas vésperas e em dias de jogos. “A Copa do Mundo permitiu que o Brasil tivesse mais um período de alta temporada em 2014, o que movimentou toda a cadeia produtiva do turismo nacional, gerando emprego e renda para todo o País”, comemorou o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto.

Fortaleza foi a cidade que registrou maior procura em véspera de jogos e no dia das partidas. No jogo entre Brasil e Colômbia, nas quartas de final, a lotação alcançou 97%. Já o Rio de Janeiro, chegou a 96% dos quartos ocupados na partida Espanha X Chile. Recife também registrou uma taxa elevada de utilização dos hotéis. A disputa entre Estados Unidos e Alemanha garantiu 95% dos hotéis ocupados.

No ranking das cidades-sede com maior taxa de ocupação nos dias de jogos e vésperas, o Rio de Janeiro e Recife lideram com 92%, Cuiabá ficou como a segunda colocada com 90%, seguidas de Belo Horizonte e Natal, com 85%. “Das 12 cidades que receberam jogos do mundial, 10 tiveram ocupação superior a 82%”, comentou o presidente.

Entre as cidades com maior taxa de ocupação em todo o período da Copa, o Rio de Janeiro lidera com 87%. Fortaleza teve 72% dos quartos ocupados e Brasília e Recife, alcançaram a marca dos 68%. A média das 12 cidades foi de 61%.

Comparação entre Copas anteriores

O estudo do Fohb também faz uma comparação da ocupação hoteleira durante a Copa realizada no Brasil com as edições anteriores, que aconteceram na Alemanha e na África do Sul. Nas vésperas e nos dias das oitavas de final, a ocupação dos hotéis brasileiros superou a taxa alcançada nos outros países. “O mesmo aconteceu nas quartas de final, quando os quartos de hotéis no País tiveram cerca de 85% de utilização, enquanto na Alemanha e África do sul a procura chegou a aproximadamente 70%”, comentou o presidente da Embratur. Na final do mundial, a ocupação também foi recorde se comparada com edições anteriores. “Enquanto mais de 90% das unidades hoteleiras estavam com hóspedes na véspera do jogo, a Alemanha registrou 60%”, finalizou Vicente.

Fonte: Embratur

Deixe uma resposta