Turismo criativo: levando os viajantes além do Cristo Redentor, Torre Eiffel e Estátua da Liberdade

Por Adriana Lima*

Não é novidade que o setor de turismo cresce cada vez mais no Brasil e no mundo. Com o turismo internacional batendo recordes e o registro adicional de 52 milhões de pessoas viajando pelo globo, segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), abrem-se muitas oportunidades tanto no campo dos negócios quanto para os viajantes.

Com tantas pessoas em idas e vindas ao redor do mundo, o perfil dos turistas também tem mudado. Os viajantes não querem apenas conhecer os principais pontos turísticos de cada região, desejam ir mais a fundo, vivenciar experiências diferenciadas e mergulhar na cultura local.

Chegar em Florença e ter uma aula de degustação de vinho e azeite ou aprender a fazer os tradicionais pizza e gelato; conhecer na prática a arte da capoeira, em Salvador; realizar um verdadeiro tour gastronômico pelo centro de São Paulo; nadar com os golfinhos na Amazônia; fazer um curso de fotografia em Nova York ou em Buenos Aires, ou até se aventurar em um Rapel, no Rio de Janeiro. Essas são algumas das infinitas possibilidades de incrementar os roteiros turísticos, voltando com uma bagagem cultural maior e mais profunda.

É exatamente esta a proposta do “turismo criativo”, tendência que já é comum no exterior, em países como Estados Unidos, França e Tailândia, e começa a despontar aqui no Brasil. Permitir e incentivar que as pessoas enriqueçam suas viagens, conhecendo um pouco mais sobre algo que realmente lhes interessa e que normalmente não conseguem fazer na sua rotina normal.

E aqui, mais uma vez, a tecnologia facilita a vida das pessoas. Novas plataformas permitem que as pessoas possam planejar melhor suas viagens. Enquanto pesquisa preços de passagens, hospedagens e outros passeios, os viajantes podem incluir em seus roteiros cursos  e experiências culturais de interesse pessoal.

Na rotina turbulenta que acomete a maioria das pessoas atualmente, são poucas as oportunidades que temos de estudar o que gostamos por lazer, seja fotografia, culinária, artes, esportes ou qualquer outro tema. E é aqui que abre-se um novo modelo de negócios: oferecer ao turista a possibilidade de personalizar seu pacote de viagens adicionando ótimas experiências, para que aprendam mais sobre seus hobbies quando realmente têm tempo para isso.

Um excelente convite para todos virem à bordo!

*Adriana Lima é formada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e possui MBA e mestrado em Relações Internacionais pela Wharton School (UPENN). Blogueira de viagens (www.DicadaDri.com), ela já atuou no segmento de marketing em grandes empresas como Johnson&Johnson e Ambev. Após toda esta experiência no mercado corporativo, ela resolveu empreender e fundou, em 2013, o Sabiar (www.sabiar.com), site que reúne cursos culturais rápidos para viajantes que querem aprender algo novo enquanto conhecem uma cidade pelo ponto de vista do morador local.

Comodidade e aumento na qualidade aquecem turismo doméstico

Pesquisa do Ministério do Turismo aponta que quase 70% dos brasileiros querem viajar pelo Brasil, inclusive para visitar resorts.

Mais de dois terços dos brasileiros que planejam viajar nos próximos seis meses preferem destinos dentro do País do que no Exterior. É o que mostram recentes pesquisas feitas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) a pedido do Ministério do Turismo. Para especialistas da área, o resultado é reflexo do aumento na qualidade dos serviços e da comodidade.

A última pesquisa de intenção de viagem do Ministério do Turismo, feita em abril, mostrou que 26,3% dos brasileiros pretendem viajar nos próximos seis meses. Desses, 69,6% declararam preferir destinos domésticos do que conhecer outros países – quase 3% a mais que no mesmo mês do ano passado. Com 49,3%, o Nordeste do País é o principal roteiro, contra 16,5% do Sudeste, 14,1% do Sul, 11,1% do Centro-Oeste e 9% da região Norte.

Segundo especialistas do setor de turismo, vários fatores influenciam a preferência por destinos locais. Em primeiro lugar, está a comodidade de se falar a mesma língua e usar a mesma moeda. “Além disso, existe a tendência natural dos viajantes em realizar voos de curta duração, buscando otimizar o tempo de permanência no destino escolhido”, opina Edmar Bull, vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav).

Outro fator favorável a esse cenário é o alto investimento em qualidade que boa parte dos empreendimentos turísticos têm feito. As próprias agências de viagem também passaram a oferecer serviços personalizados de consultoria, indicando ao consumidor quais os destinos com a melhor relação custo-benefício de acordo com o seu orçamento.

E boa parte desses turistas deve ser absorvida por resorts. Bull destaca que há uma crescente demanda turística e corporativa potencial no setor para os próximos anos. “Há opções qualificadas que atendem aos mais variados orçamentos. Os apelos motivacionais do consumo variam de acordo com o perfil dos viajantes. A infraestrutura instalada nos resorts para acolher adequadamente eventos constitui, por exemplo, um fator de fundamental importância para o mercado de viagens corporativas”, diz.

Aliando planejamento e economia, um novo jeito de viajar vem conquistando cada vez mais novos adeptos no País. Por meio do Timeshare, que consiste na aquisição de semanas de um apartamento, também conhecido como sistema de férias compartilhadas, é possível viajar gastando, em média, 40% menos. E essa opção também deve contribuir bastante com a tendência dos brasileiros visitarem mais a própria casa, inclusive os resorts.

Após surgir na Europa na década de 60, o sistema expandiu-se e hoje conta com uma rede de milhares de resorts e hotéis luxuosos espalhados pelo mundo. Atualmente, parte das grandes redes hoteleiras possui um sistema de Vacation Club (Clube de Férias) e são afiliadas a uma rede de intercâmbios. É o caso do Hot Beach Diversões Aquáticas e Hot Beach Resort Olímpia, em fase de construção em Olímpia, no Interior paulista (430 quilômetros da capital). O empreendimento será viabilizado no modelo de condo-hotel, com investimento orçado em R$ 80 milhões na construção de um hotel de 484 apartamentos.

De acordo com um dos diretores do Hot Beach, Sérgio Ney Padilha Garcia, o timeshare vem ganhando força no Brasil. “A relação custo-benefício é muito mais vantajosa quando comparada ao preço da estadia convencional em hotéis e resorts”. O timeshare possibilita férias em alto padrão e a um custo mais acessível e sem preocupações o resto do ano, já que a administradora fica responsável pela manutenção, limpeza, cobranças, vacância, segurança, entre outros ônus administrativos.

Sobre o Hot Beach
O Hot Beach Resort Olímpia é mais um empreendimento do Grupo Ferrasa Incorporação. O complexo está em fase avançada de obras em uma área de 140 mil m² em Olímpia e transformará a cidade na “Riviera do Interior”. Com inauguração prevista para 2016, o Hot Beach Resort Olímpia contará com 484 apartamentos de 40 m² e restaurante projetado com padrões internacionais, além de uma praça de cozinha show, bar com estrutura para eventos musicais, lounge bar e centro comercial.

Já o parque aquático Hot Beach, além de praia artificial para o turista e ampla área aquática para crianças, terá piscinas com ondas, rio lento artificial com água quente e natural, piscina com bar aquático, integrada ao lounge, deck molhado, sombrites em madeira rústica e toboáguas kamikases. Os investimentos chegarão à casa dos R$ 130 milhões.

Turismo rural atrai visitantes da Copa

Projeto Talentos do Brasil Rural tem por objetivo inserir produtos e serviços da agricultura familiar no mercado turístico brasileiro.

Os turistas que estiverem no Brasil para acompanhar os jogos da Copa do Mundo terão mais opções de roteiros turísticos para visitar nas proximidades das cidades-sede. O projeto Talentos do Brasil Rural selecionou 23 roteiros rurais, compostos por empreendimentos da agricultura familiar, que valorizam a identidade cultural da região, promovem a geração de emprego e renda e agregam valor à produção de grupos locais.

Cerca de 400 empreendimentos em 54 municípios fazem parte do projeto, que é uma parceria entre os ministérios do Turismo (MTur) e do Desenvolvimento Agrário (MDA), e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Os roteiros, que foram escolhidos por meio de chamada pública, foram mapeados, apresentados ao mercado turístico, receberam consultoria especializada e apoio à comercialização. Um dos requisitos para escolha é que o roteiro seja acessível a, no máximo, três horas de uma das 12 capitais-sedes da Copa do Mundo, considerando meio terrestre ou aquaviário.

Entre os destinos estão Gramado (RS), Caminhos da Roça (SP), Serras Rurais (MG) e Caminho dos Engenhos (PB). “A iniciativa é de vital importância pois abre mercado para o agricultor familiar e ao mesmo tempo agrega valor à oferta turística em um comércio justo e equitativo”, afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lages.

Ao conhecer a propriedade do agricultor familiar, o visitante não consome apenas os serviços de hospedagem, alimentação e os atrativos. Ele também adquire produtos artesanais e agropecuários produzidos por moradores locais, característicos da região visitada, gerando renda. “Agricultores familiares agregam valores a seus produtos por meio da agroindústria, do artesanato, e que, a partir daquilo que a terra é capaz de produzir, geram riquezas”, diz o coordenador de comercialização, do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor, Pedro Bavaresco, da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA.

A 120 km de Porto Alegre, cidade-sede da Copa, e 35 km de Caxias do Sul, o Vale dos Vinhedos (RS), por exemplo, possui pequenas propriedades rurais com vinícolas de diferentes portes. O destino oferece hotéis, pousadas, restaurantes, agroindústrias familiares de queijos, doces e geleias coloniais. “Existem muitas perspectivas de negócios dentro das cadeias produtivas, mas é preciso estar preparado para aproveitar as oportunidades”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

O consumo dos produtos não fica restrito às propriedades familiares. Os produtos fornecidos pela agricultura familiar podem ser consumidos em hotéis, restaurantes e vendidos em lojas das cidades e centros comerciais próximos aos estádios da Copa.

1.      Tucorin: Turismo Comunitário no Baixo Rio Negro (AM)
2.      Trilha do Visgueiro (AL)
3.      Ecoétnico (BA)
4.      Em Busca do Futuro (CE)
5.      Trekking Travessia (GO)
6.      Vivências da Agricultura Familiar do Serras de Minas (MG)
7.      Mata Atlântica de Minas (MG)
8.      Vale do Rio Preto/Ibitipoca (MG)
9.      Serras Rurais (MG)
10.  Natureco Pantanal Remoto (MT)
11.  Caminhos do Brejal (RJ)
12.  Caminho dos Engenhos (PB)
13.  Civilização Potiguara (PB)
14.  Mares Quilombolas (PB)
15.  Sentidos do Campo (PR)
16.  Caminho do Vinho (PR)
17.  Seridó Rural (RN)
18.  Porto Alegre Rural (RS)
19.  Vale dos Vinhedos (RS)
20.  Agroturismo – Gramado (RS)
21.  Caminhos da Colônia (RS)
22.  Caminhos de Pedra (RS)
23.  Caminhos da Roça (SP)

Fonte: Ministério do Turismo

Brasileiros escolhem o próprio país como destino

Este é o resultado do último levantamento feito pelo Ministério do Turismo, segundo o qual 69,6% dos entrevistados que pretendem viajar pelos próximos seis meses o farão pelo próprio país.

O Brasil está em alta. A visibilidade do país não atrai apenas os visitantes estrangeiros, atraídos especialmente pela Copa do Mundo e pelas belezas naturais. Os brasileiros também estão preferindo viajar por aqui. É o que revela a Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, segundo a qual 69,6% dos brasileiros que pretendem fazer alguma viagem nos próximos seis meses, período que inclui a Copa do Mundo, devem optar por cidades brasileiras. O percentual é maior do que o registrado em abril do ano passado (66,8%). Os moradores de Recife (76,4%) são os que mais desejam viajar pelo Brasil, entre as sete capitais monitoradas, seguidos por Brasília (72,1%), Rio de Janeiro (71,8%), São Paulo (68,4%), Belo Horizonte (67,2%), Salvador (63,5%) e Porto Alegre (48,9%).

O avião é hoje o meio de transporte preferido do viajante brasileiro, conforme revela a pesquisa. Ele é requisitado por 61,1% dos turistas que manifestaram intenção de viajar pelos próximos seis meses. Os cariocas registraram o maior aumento na intenção de viajar de avião entre as capitais monitoradas, subindo de 57,6% em abril do ano passado para 68,9%, em abril deste ano, um aumento de onze pontos percentuais. A preferência pelo meio aéreo teve maior destaque entre os turistas com faixa de renda entre R$ 2.101 a R$ 4.800: de 52,5% para 61,7%. Já a faixa etária dos viajantes mais jovens, com menos de 35 anos, foi a que registrou o maior aumento: de 73,1% para 81,8%.

Já a capital Porto Alegre é a cidade do país cujos moradores registraram o maior índice de hospedagem em hotéis e pousadas: 71,3%. O percentual está acima da média das sete capitais monitoradas (53,3%) em abril pelo Ministério do Turismo. Na sequência estão Brasília (67,5%), Salvador (60,1%), Rio de Janeiro (54,2%), Belo Horizonte (52,2%), São Paulo (51,2%) e Recife (50,6%).

O levantamento é realizado mensalmente pelo Ministério do Turismo em parceria com a Fundação Getúlio Vargas com dois mil moradores de sete cidades do país: Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, todas sedes da Copa. As capitais representam 70% do fluxo de turistas do país.

Fonte: Ministério do Turismo

Novidades do Brasil na Alemanha

Embratur participa de mais uma edição da IMEX Frankfurt e aproveita oportunidade para lançar novo site direcionado ao segmento MICE

Com o objetivo de realizar contatos e garantir uma agenda com compradores de alto nível, associações e organizadores de eventos mundiais, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) vai levar produtos brasileiros na 11ª edição da IMEX Frankfurt, na Alemanha, entre os dias 20 e 22 de maio. Durante o evento, a Embratur lançará uma plataforma digital voltada exclusivamente para o segmento MICE.

A feira IMEX é uma das principais do segmento MICE (Meetings, Incentives, Conferencing, Events) e reunirá profissionais da indústria do turismo para o segmento de mais de 80 países. A organização do evento também oferece seminários e workshops organizados por renomadas associações e instituições, como a ICCA (International Congress & Convention Association), o GCB (German Convention Bureau), a SITE (Society of Incentive & Travel Executives), entre outros.

“A Embratur participa da feira alemã desde 2003 por considerar o país prioritário pela elevada emissão de turistas ao Brasil. A participação brasileira é fundamental para a captação de eventos para o País, bem como a divulgação e promoção dos destinos turísticos e, principalmente, do segmento Turismo de Negócios”, destacou o presidente da Embratur, Vicente Neto.

O estande da Embratur na IMEX terá 300m² e contará com 30 coexpositores. O mascote da Copa do Mundo FIFA 2014, o Fuleco, será uma das atrações do espaço, que contará também com um brasileiro brincando de “embaixadinhas”, em homenagem ao Mundial que acontece em junho. Além disso, os visitantes conhecerão a nova ferramenta desenvolvida pelo Instituto, direcionada ao segmento MICE.

Novo site

A IMEX Frankfurt é conhecida como a principal feira do segmento MICE – (Encontros, Incentivos, Convenções e Eventos). Por esse motivo, a Embratur vai lançar uma nova plataforma voltada para esse público.

Para que o usuário navegue com facilidade, foi desenvolvida uma estratégia de filtros. Logo na página inicial, o internauta visualiza um vídeo sobre o segmento e, em seguida, é direcionado para um busca, onde ele tem três opções: buscar pela cidade, caso já saiba onde pretende realizar seu evento; buscar por critérios e assim gerar um resultado mais apropriado com sua necessidade, e ainda tem a opção de comparar as cidades sobre as quais tem interesse. Nessa tela, ele também pode conferir os eventos que estão acontecendo no Brasil.

O website ficará hospedado no portal do VisitBrasil (www.visitbrasil.com), um site voltado para o público estrangeiro.

“O segmento MICE vem contribuindo de forma muito efetiva para o incremento do fluxo de turistas para o Brasi, que está na lista das 10 nações que mais realizam eventos internacionais no mundo”, comentou o diretor de Produtos e Destinos da Embratur, Marco Lomanto.

Mercado

Em 2012, 258.437 alemães estiveram no Brasil a lazer ou a negócios. Desses, 94,2% afirmaram que têm intenção de retornar.

Os voos diretos existentes entre Alemanha e Brasil atualmente são operados pelas companhias aéreas Lufthansa, TAM Linhas Aéreas e Condor. Em relação ao mês de abril deste ano, o número de frequências semanais se manteve em 30 voos diretos por semana.

Fonte: Embratur

Trade de MG quer reposicionamento do Turismo de bem-estar

Evento promovido pela FBHA terá próxima edição em Ouro Preto, no segundo semestre

Após dois dias de intensa programação voltada ao trade turístico de Minas Gerais, a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) comemora os resultados do 9º Encontro da Hotelaria Mineira, realizado nos dias 9 e 10 de maio em Poços de Caldas. Considerado um sucesso de público e conteúdo por todos os participantes – autoridades, empresários, profissionais e fornecedores – o evento discutiu, entre outros temas, o reposicionamento do turismo de bem-estar no estado, tendo como exemplo Caldas da Rainha, estância termal em Portugal.

A médica Maria da Conceição Feliciano Camacho Alves, diretora do Centro Termal de Caldas da Rainha, apresentou aos empresários brasileiros a palestra ‘Termalismo de bem estar, saúde e lazer’, em que compartilhou pontos relevantes da sua expertise à frente de uma das referências europeias no segmento turismo de bem-estar. Maria da Conceição falou sobre os efeitos curativos das águas termais e sobre o novo conceito de turismo de bem-estar, que proporciona uma variedade de tratamentos térmicos e minerais, massagens relaxantes, fisioterapia, tratamentos de pele, ioga, entre outras terapias, como forma de melhorar a saúde e diminuir o estresse.

Segunda a diretora, desde que o Centro Termal de Caldas da Rainha, primeira estância termal construída no mundo (1485), adotou a nova cultura de bem-estar, 30% do número de visitantes já é de pessoas que buscam relaxamento e lazer.

“Estamos conquistando um outro público, mais jovem e com mais dinheiro para gastar, que procura além do tratamento termal outros tipos de terapias. E isso está refletindo em muitos outros negócios em Caldas da Rainha, hotelaria, bares e restaurantes e comércio em geral. Está sendo muito bom para o turismo e a  economia da cidade’, explica a médica.

Este é o caminho que os empresários do turismo de Minas Gerias estão buscando para as estâncias termais e hidrominerais do estado. Está prevista para junho a abertura aos visitantes da tradicional Termas Antonio Carlos, inaugurada na década de 1930 e totalmente restaurada no novo formato de bem-estar, que não se restringe às águas termais. Além das 90 cabines de banho termal, o balneário passará a ter massagens, fisioterapia e tratamentos de pele, entre outros.

Para o presidente da FBHA, Alexandre Sampaio, o tema é muito oportuno, uma vez que Minas Gerais tem significativa vocação turística para esse segmento, que no Brasil cresce 10% ao ano. “Caldas da Rainha é um case que inspira o setor de turismo mineiro a se reestruturar para atrair outros perfis de públicos e fomentar o crescimento da hotelaria. É importante que o Ministério do Turismo e as administrações locais estabeleçam estratégias para o desenvolvimento do turismo de bem-estar, não apenas para Minas Gerais, mas também para todas as outras estâncias termais e hidrominerais do País”, afirma.

O Encontro também contou com oficinas práticas e palestras sobre hospitalidade,cluster turístico e desafios da governança, entre outros temas que provocaram discussões sobre perspectivas e os principais desafios para o setor de hospedagem.

Durante o evento, a FBHA promoveu o Festival Gastronômico Hotel Gourmet, que reuniu admiradores da gastronomia em torno de receitas especiais preparadas porchefs dos mais renomados hotéis mineiros.

9º Encontro da Hotelaria Mineira foi realizado pela FBHA em parceria com o Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares de Poços de Caldas e com o apoio do Sistema Fecomércio, Sesc e Senac e da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Ainda em 2014, a FBHA realizará mais uma edição doEncontro da Hotelaria Mineira, desta vez em Ouro Preto, no segundo semestre de 2014.

Embratur lança nova campanha internacional

Dois filmes, “Encontros” e “Dance”, serão difundidos em 14 mercados e devem alcançar 1,3 bilhão de pessoas.

A exato um mês para a Copa2014, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) lança hoje uma nova campanha publicitária internacional, onde convida os turistas a desfrutarem dos múltiplos destinos culturais e naturais, assim como  da paixão brasileira pela dança e pelo futebol.

A campanha é composta pelos vídeos “Dance” e “Encontros” que destacam diversos atributos diferenciadores do Brasil: a nossa cultura; a experiência inesquecível que representa visitar o País; e os atrativos turísticos; assim como a alegria dos brasileiros.

O vídeo “Encontros” aborda o calor humano, a energia e a hospitalidade do povo, além das belezas naturais do país e as experiências culturais e gastronômicas que propõe. O vídeo inclui o jingle que se tornou conhecido na voz de Ivete Sangalo, durante o último Carnaval de Salvador, e que agora se apresenta com uma nova versão.

Já o vídeo “Dance”, sem deixar de destacar as atrações únicas do País, ressalta a promoção do estilo de vida dos brasileiros, seja na paixão pelo futebol, no fervor e intensidade da sua gente, ou no gosto pela música e pela dança.

“A hospitalidade do nosso País convida os turistas de todos os continentes a visitarem-nos. Estamos nos preparando de forma especial, sabendo que o Brasil será o cenário do maior evento desportivo, quando quase metade da população do planeta estará sintonizada no que estará acontecendo aqui. Esta nova campanha procura mostrar um pouco de tudo o que o Brasil oferece em toda a sua extensão”, avaliou o presidente da Embratur, Vicente Neto.

A campanha, que deve chegar a 1,3 bilhão de pessoas, poderá ser vista na televisão, na internet, nas redes sociais e nas vias públicas em 14 mercados (EUA, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, México, Alemanha, Reino Unido, Portugal, Espanha, Itália, Canadá, Holanda, França).

A campanha foi lançada mundialmente hoje, por meio de teleconferência do ministro do Turismo, Vinícius Lages e pelo presidente da Embratur, Vicente Neto, para mais de 25 jornalistas estrangeiros.

Promoção do Brasil como sede de grandes eventos esportivos

Há quase quatro anos atrás, em Joanesburgo, durante a Copa do Mundo da África do Sul, a Embratur convidou o mundo a visitar o Brasil, apresentando uma nova campanha de promoção internacional do País para divulgar os atrativos turísticos brasileiros no exterior: “O Brasil te Chama – Celebre a Vida Aqui”. O objetivo foi, a partir daquele momento, aproveitar ainda mais a oportunidade de dar grande visibilidade ao Brasil e contribuir com o aumento do fluxo de entrada de turistas estrangeiros e na captação de novos eventos internacionais para o País. Produzida pela cineasta Fernando Meirelles, teve grande repercussão, e em cerca de dez semanas de veiculação com cobertura em mais de cem países, teve alcance possível de 400 milhões de pessoas das Américas, Europa, Oriente Médio, África e Ásia.

“Desde então, as peças e campanhas publicitárias do Instituto tem buscado emocionar, impactar e motivar as pessoas a visitarem o nosso País. E, assim, aumentar o fluxo de turistas estrangeiros, estimular o aumento da permanência e dos gastos desses visitantes e, ao mesmo tempo, tornar o país mais conhecido no exterior, divulgando novos destinos turísticos brasileiros”, explicou o presidente da Embratur, Vicente Neto.

Em 2012, foi o momento de lançarmos mais uma campanha publicitária de impacto, desta vez na véspera dos Jogos Olímpicos de Londres: “O mundo se encontra no Brasil. Venha Celebrar a vida”. O mote da nova campanha era o País como um lugar que propicia experiências únicas, um grande encontro e um forte teor emocional. Para essa nova etapa, os atributos já conhecidos de brasilidade, diversidade, modernidade, e interatividade, continuavam presentes na linha de comunicação da campanha, mas foi pensado em algo mais impactante, que despertasse no turista a vontade de conhecer o Brasil, ou de retornar, num cenário de interesse sempre crescente. A ofensiva de publicidade aconteceu em cerca de 100 países, impactando 1,2 bilhões de pessoas. Foram, anúncios em canais de TV, revistas, redes sociais, sites, além de mobiliários urbanos em alguns países.

De acordo com Vicente, de todo histórico de propaganda e marketing utilizado pela Embratur, percebe-se um ponto muito forte, presente em todas as campanhas de divulgação do Brasil no exterior. “De uma forma ou de outra, o jeito de ser e receptividade do nosso povo estará sempre em evidência. O fato é que o brasileiro espera com entusiasmo e com o coração cheio de alegria os visitantes que virão para os próximos grandes eventos que o Brasil irá sediar. Isso nos traz uma grande certeza: os turistas estrangeiros são e serão muito bem-vindos ao nosso País!”, finalizou.

Vídeo Dance: http://youtu.be/kp7STkFn-rk

Vídeo Encontros: http://youtu.be/UuQTfPkigT0

Fonte: Embratur

Bahia quer diversificar produtos turísticos

Segmentos de Sol e Praia e de Cultura são os mais procurados pelos sulamericanos  que visitam o estado.

As oportunidades para os destinos turísticos da Bahia para atrair visitantes da América do Sul foi o  tema da palestra do presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto, na cidade de Salvador, durante o 3º  Salão Baiano de Turismo. “É crescente o interesse dos países vizinhos pelo Brasil, sendo assim, devemos voltar nossos esforços de promoção para esses mercados”, destacou Neto, durante sua apresentação.

O presidente ressaltou que sete dos 18 países prioritários para a divulgação do Brasil estão na América do Sul. Segundo ele, a Embratur utiliza todas as suas ferramentas  de promoção no continente, como a realização de workshops e roadshows com operadores de turismo e agentes de viagens; participação nas principais feiras de turismo; realização de eventos exclusivos sobre o País; além de campanhas de publicidade, ações de comunicação digital e relações púbicas.

“A América do Sul conta, ainda, com o reforço de dois EBTs (Escritórios Brasileiros de Turismo) e dos comitês Visit Brasil, resultado de uma parceria com o Ministério das Relações Exteriores e empresas do setor dos países, responsáveis pela comercialização de destinos brasileiros”, explicou.

Vicente Neto destacou que a Bahia já é um destino consolidado internacionalmente, e que o novo desafio é a diversificação dos produtos em novos mercados. Apresentar os destinos baianos para o mercado sulamericano permitirá que o estado alcance um novo patamar na atração de visitantes internacionais e contribuirá para a distribuição de renda. “Em toda a Bahia, o turista encontrará uma diversidade imensa de destinos ricos em cultura e belezas naturais, além da alegria do povo, nosso diferencial”, disse.

Ainda falando de oportunidades de mercado, Vicente Neto destacou que a Argentina, o Chile e o Uruguai, segundo o IPK (International Tourism Consulting Group), foram responsáveis pela emissão de 10 milhões de turistas para o mundo em 2012. “Considerando uma média dos três países, 68% das viagens realizadas foram para países da América do Sul, sendo 24% para o Brasil. Nossos esforços dos últimos anos têm sido voltados para o aumento desse percentual”,  ponderou Neto.

“O segmento de Sol e Praia, aliado com a Cultura, são os mais procurados pelos turistas desses três países, o que aumenta ainda mais as possibilidades para a Bahia”. O presidente da Embratur finalizou sua apresentação ressaltando a importância da integração entre as iniciativas públicas e privadas para o desenvolvimento do turismo. Destacou, ainda, que ações coordenadas produzem resultados mais expressivos, e neste sentido, convidou o trade turístico baiano a conhecer melhor e participar mais das ações que a Embratur realiza no exterior, em parceria com os governos estaduais e municipais.

Fonte: Embratur

Nova regra para vistos deverá estimular entrada de turistas estrangeiros

Lei sancionada pela presidenta Dilma Rousseff prevê que o processo de pedido e concessão de vistos seja feito pela internet.

A concessão de vistos para estrangeiros interessados em visitar o Brasil ficará mais rápida e poderá ter custos menores. Lei sancionada no último dia 07 pela presidente Dilma Rousseff prevê que o processo de pedido e concessão de vistos seja feito 100% pela internet e facilita a dispensa de vistos desde que o país de origem dos viajantes deem o mesmo tratamento aos brasileiros. Com um sistema mais rápido e moderno, a expectativa é que aumente o número de turistas estrangeiros no País.

A possibilidade de fazer os procedimentos do pedido de visto pela internet, incluindo a entrega dos documentos necessários, poderá diminuir o custo para a emissão do visto e também o tempo de espera. O Itamaraty, que hoje já faz parte do processo de emissão de vistos pela internet, estuda o desenvolvimento de uma plataforma online para a emissão e entrega de formulários, comprovantes (inclusive taxa de pagamento) e demais documentos, mas ainda não há previsão para ser liberada.

“Com o novo mecanismo, um turista norte-americano que mora, por exemplo, em uma cidade do interior, mais distante de um consulado brasileiro, poderá fazer o pedido de visto pela internet, sem necessidade de viajar a outra cidade para entregar os documentos. Isso reduzirá seus custos com o processo do visto e sobrará mais dinheiro para a viagem ao Brasil”, afirmou Vicente Neto, presidente da Embratur (Instituto Brasileiro do Turismo).

Nos Estados Unidos, um dos principais emissores de turistas para o Brasil, a emissão do visto demora em média 30 dias. Com a emissão eletrônica, esse prazo será reduzido e não haverá mais filas, tornando mais competitivo o mercado brasileiro na comparação com outros países. “No longo prazo, essa medida, assim como a simplificação da isenção de vistos, contribuirá para atingirmos nossa meta para trazer 10 milhões de estrangeiros até 2020”, afirmou Neto. Esse número foi de 6 milhões em 2013.

Medida similar foi adotada pelo México em 2010, ao permitir que o visto para viagens de menos de 30 dias possa ser solicitado e concedido por meio de uma autorização eletrônica pela internet. Além de reduzir custos para os viajantes, a emissão por meio eletrônico deverá diminuir o tempo de espera para concessão do visto. A lei sancionada teve como base o projeto de lei do deputado Carlos Eduardo Cadoca (PCdoB-PE), que modificou o Estatuto do Estrangeiro. Os documentos originais poderão ser solicitados a qualquer momento por autoridades do governo brasileiro.

Fonte: Embratur