Jornalistas estrangeiros aprovaram turismo do Brasil

Mais de 98% dos entrevistados elogiou os serviços turísticos do país e mais de 96% dos profissionais afirmaram recomendar uma viagem aos destinos brasileiros.

Pesquisa realizada com jornalistas estrangeiros que participaram da Copa do Mundo revela que profissionais da mídia avaliaram positivamente o Brasil com destino turístico. Mais de 98% dos entrevistados aprovaram os atrativos turísticos. Os dados fazem parte do levantamento do Ministério do Turismo, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). “Os itens relacionados à infraestrutura do País e aos serviços tiveram aprovação superior a 80%, o que comprova a capacidade do Brasil para receber grandes eventos”, comentou Vicente Neto.

Para o presidente, outro dado importante revelado pela pesquisa é que 60% dos estrangeiros disseram que a imagem do país melhorou com o evento. “96,5% dos profissionais de imprensa afirmaram que recomendariam uma viagem aos destinos brasileiros. Além de grande exposição nos 30 dias de evento, o País continuará sendo pauta positiva de reportagens de todo o mundo”, destacou o presidente. Os jornalistas consideraram bom e ótimo também o transporte privado (91,2%) e as informações prestadas aos turistas (90,4%). Entre os profissionais de imprensa, 96,2% consideraram ótimas as opções de diversão noturna e 93,2% a facilidade de obtenção do visto de entrada no país.

A infraestrutura também foi bem avaliada pelos estrangeiros. Os aeroportos foram considerados bons ou muito bons pela maioria (88%), da mesma forma, a segurança pública (81,8% de aprovação). As rodovias foram bem avaliadas por 81,6% dos entrevistados e a limpeza pública por 80,4%.

Centros Abertos de Mídia

Em uma iniciativa inédita na história das Copas do Mundo, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) adotou uma estratégia de comunicação integrada para enfrentar o desafio de levar informações sobre o Brasil e apoiar a imprensa global que veio ao País para a cobertura do Mundial. Durante o torneio, mais de 10 mil jornalistas de 84 países foram atendidos nos Centros de Abertos de Mídia instalados nas 12 cidades-sede. Num levantamento preliminar, a Secom identificou mais de 60 mil matérias sobre o Brasil veiculadas em todo o mundo.

A ação foi idealizada com o objetivo de aproveitar a visibilidade que a Copa trouxe ao Brasil. “As matérias publicadas tanto no Brasil como no exterior mostraram um País com diversidade natural e cultural, que tem um povo ímpar, receptivo e dedicado”, comentou Vicente Neto.

Programa de Relações Públicas

O presidente da Embratur também destacou o Programa de Relações Públicas do Instituto, que tem como objetivo explorar as potencialidades de exposição dos destinos turísticos brasileiros na imprensa internacional, além de monitorar diariamente o que é publicado sobre o Brasil. “Estamos presentes em dez países-chave: Alemanha, Argentina, Chile, Peru, Espanha, Estados Unidos, França, Reino Unido, Itália e Portugal, e durante a Copa, expandimos nosso monitoramento para outros países da América do Sul”, finalizou.

Fonte: Embratur

Projeto Brasil Central Tur incrementa turismo na Região Centro-Oeste

Embratur e secretários de Turismo discutem como intensificar a promoção da região no mercado internacional.

Representantes da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) e das secretarias de Estado de Turismo de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal discutiram ações para o relançamento do projeto Brasil Central Tur no Exterior. A reunião foi promovida pela Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) com o objetivo de incrementar o turismo na região.

Durante o encontro, foi discutida a repercussão positiva no mercado internacional sobre a Copa do Mundo. Os secretários estaduais querem aproveitar a visibilidade que a região teve, já que Cuiabá foi uma das sedes do Mundial, para continuar a promoção e divulgação do Centro-Oeste como destino turístico.

“Temos que aproveitar a excelente imagem que o Brasil passou para todo o planeta, com a organização da Copa2014, e intensificarmos a exposição de todas as regiões do País. Foi justamente esse o objetivo do Governo Brasileiro quando decidiu realizar a Copa em 12 cidades-sede”, comentou Marco Lomanto, diretor de Produtos e Destinos da Embratur.

“Nesse encontro nós fundamentamos o potencial turístico da nossa região e a necessidade desenvolvê-lo ainda mais, aproveitando o boom da Copa do Mundo e o grande projeto Brasil Central Tur, que é uma ferramenta que irá atrair mais turistas, dará mais visibilidade às nossas cidades e movimentará a economia local”, declarou o superintendente da Sudeco, Cleber Ávila.

Todos os representantes das Secretarias de Turismo de MT, MS, GO e DF presentes no encontro aprovaram a iniciativa. A proposta é relançar, no mês de outubro, uma nova plataforma no site oficial do programa, nas redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, Google +, Pinterest, Flickr) e no aplicativo para Iphone, Ipad e Android.

“Com o intuito de potencializar o nicho internacional, a ideia é divulgá-lo na Feira de Salão Internacional Top Resa, que ocorrerá em Paris, entre 23 e 26 de setembro onde inclusive , será  realizado  um work shop,  denominado “Brasil Central Sensacional” , com todos os estados da região Centro-Oeste e o DF , utilizando a nossa capital da Republica como ‘hub’ aéreo internacional   , bem como na FIT – Feira Internacional de Turismo da América Latina, que acontecerá entre 25 e 28 de outubro em Buenos Aires, na Argentina”, detalhou Lomanto.

O projeto

Criado em 2012, o Brasil Central Tur tem o objetivo de divulgar as atrações do Centro-Oeste em plataformas digitais e fomentar o turismo e a economia da região. Oferecerá sugestões de roteiros, gastronomia, passeios ecológicos, dicas de viagem e apresentará pontos turísticos da região ainda pouco explorados. Todo o material produzido será trilíngue (português, espanhol e inglês). Terá peças planejadas para as redes sociais e para o aplicativo de telefones.

A atuação nas redes sociais será a ponte entre o turista e os roteiros de viagem com o objetivo de tirar dúvidas e fornecer novidades sobre cada local. Conteúdos dinâmicos e descontraídos vão facilitar o engajamento dos usuários. A interatividade fará com que as páginas e perfis funcionem como troca de experiências.

O objetivo institucional para a Embratur e o Ministério do Turismo  na parceria com a Sudeco, desta relevante iniciativa de promoção integrada da região Centro Oeste,  será o reforço do produto turístico “Brasil Central” , dentro do conceito da política de regionalização do Turismo, implementada pelo Ministério do Turismo.

Fonte: Embratur

Baixas temperaturas em Monte Verde – MG

Foto: Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde

Monte Verde, um dos destinos de inverno mais famosos do Brasil, registrou 2.7 graus na madrugada de segunda-feira, 21 de julho.  As baixas temperaturas, principalmente nesta época do ano, são recorrentes e um dos atrativos da vila. Ontem, domingo, 20, por exemplo, Monte Verde  amanheceu coberta com uma fina camada de gelo, embelezando ainda mais a paisagem da vila que fica na Serra da Mantiqueira. Na madrugada  de domingo, os termômetros de rua oscilaram entre -3º e -1º C, uma das menores temperaturas do ano em todo o País. O INMET – Instituto Nacional de Meteorologia – no mesmo período registrou médias de 1º e 3º C.

Para os próximos dias, a tendência é o frio permanecer. Segundo a Climatempo, as temperaturas devem oscilar entre 17º (máxima) e 4º C (mínima), nesta segunda-feira; 19º (máxima) e 6º C (mínima), na terça-feira; e 21º (máxima) e 7º C (mínima), na quarta-feira. No fim de semana, as temperaturas devem seguir baixas. Com o frio, belas paisagens, rica gastronomia e inúmeras opções de hospedagem, Monte Verde se torna um destino ainda mais interessante, pois, até o dia 27 de julho, acontece o Festival de Inverno de Monte Verde, que desde o início do mês vem aquecendo os visitantes com uma grande programação cultural – veja abaixo as atrações para os dias 26 e 27 de julho.

26 de julho (sábado)
Oficina de pintura no Ateliê Paula Bars (30 vagas – inscrições: (35) 3438-2316) 11h
Cortejo cênico CHI-CA-BUM 12h
Grupo Canto Coral da Associação Beneficente de Monte Verde / Companhia de Ballet da ABMV 13h
Bandas Experimentais da EMMA (Escola Municipal de Música e Artes Carlito Martins) 14h
Orquestra de Violões da EMMA (Escola Municipal de Música e Artes Carlito Martins) 15h
Peça Ver Estrelas da EMMA (Escola Municipal de Música e Artes Carlito Martins): de João Falcão 16h
Mostra de Dança da EMMA (Escola Municipal de Música e Artes Carlito Martins), grupos: Life Dance, Free Step, Kids Dance, Bom Jardin e Adotarte 17h
Coral Cantare, Canto Mágico e Cantux Lux, da EMMA (Escola Municipal de Música e Artes Carlito Martins) 18h
Big Band Itinerante – O repertório vai de Ari Barroso a Raul Seixas, incluindo canções internacionais de estilos como jazz, mambo e rock’n’roll 20h
Mari Salvaterra – Conhecida por ter integrado a Banda Blitz, a cantora apresentará seu projeto cover voltado à música brasileira, e ritmos como samba, samba-rock, pop e rock 21h
27 de julho (domingo)
Júlio Moura Acústico – apresentará o melhor do sertanejo raíz, MPB, Pop Rock nacional, além de composições próprias 13h

Sobre Monte Verde – Distrito da cidade mineira de Camanducaia, Monte Verde caracteriza-se pela combinação de um clima frio e romântico com preservação ecológica e esportes de aventura. Bastante procurada principalmente no inverno, quando as temperaturas ficam em torno de 5°C, Monte Verde conta com excelente infraestrutura hoteleira – mais de 180 opções de hospedagem –, restaurantes que servem desde a mais tradicional cozinha mineira até pratos da culinária contemporânea e típicos do inverno, como foundue, um centro comercial movimentado, atividades como caminhadas, rappel, arborismo, rafting, motocross, cavalgadas e uma pista de patinação ecológica. Cercada pelas montanhas da Serra da Mantiqueira, a estância fica a mais de 1.500m de altitude, está a 167 km da capital paulista, 420 km do Rio de Janeiro e a 456 km de Belo Horizonte. Veja mais sobre Monte Verde em www.monteverde.org.br.

Sobre a AHPMV – Criada há 10 anos, a Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde reúne estabelecimentos com serviços de excelência garantida e que são avalizados pelo selo de qualidade “Plátano de Ouro”. Com sede ao lado do portal de entrada de Monte Verde, possui equipe de profissionais capacitados para atender aos turistas com informações sobre hospedagens e dicas de lazer.

Embratur leva cultura brasileira à Holanda

Instituto apoia a realização do Viva Brasil Festival, um evento que apresenta a diversidade brasileira e promove o País como destino turístico e cultural

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) estará presente em um dos maiores eventos de música e cultura da Europa, entre os dias 17 e 20 de julho, em Amsterdam. Os holandeses terão a oportunidade de conhecer e vivenciar a cultura brasileira em mais uma edição do Viva Brasil Festival.

Com o objetivo de promover o Brasil como destino turístico, a Embratur apoia a realização do festival internacional, que destaca, além da Música Popular Brasileira (MPB), filmes, gastronomia e teatro brasileiros.

“O projeto Viva Brasil Festival propõe ações de marketing inovadoras para a Embratur se relacionar com seu público de interesse e divulgar a Marca Brasil na Holanda. Por meio de concertos, exposições, filmes, palestras, arte comunitária e demais formas de arte, o festival quer fazer com que a energia da cultura brasileira possa ser vivenciada”, explica o presidente do Instituto, Vicente Neto.

O presidente da Embratur participará de uma coletiva de imprensa na quinta-feira (17), no local do evento. Neto falará sobre o apoio da Embratur e destacará as ações de promoção do Brasil no exterior realizadas pelo Instituto.

Entre os dias 18 e 20 deste mês, os holandeses conhecerão a performance de artistas, como Maria Gadú, Ed Motta, Tulipa Ruiz, Daniela Mercury, Olodum, Roda de Samba e Choro, Monobloco e Hamilton de Holanda.

O Viva Brasil Festival, que teve sua primeira edição em 1994, tornou-se um dos únicos festivais de música brasileira da Europa. “O evento trabalha no sentido de divulgar a cultura brasileira, formar novas plateias e estimular novos projetos que traduzam nossa identidade em toda a sua diversidade étnica e regional”, destaca o presidente Vicente Neto.

Mercado holandês

A Holanda é um mercado prioritário para o Brasil, além de ser um dos sete países europeus a receber um Escritório Brasileiro de Turismo (EBT). Em 2012, 73.133 holandeses vieram ao País. Os segmentos mais procurados são Sol e Praia (39,7%), Natureza, Ecoturismo ou Aventura (30,7%) e Cultura (22,6%).

Entre pessoas de 20 países, os holandeses que vieram ao Brasil para a Copa do Mundo FIFA 2014 foram os campeões em gastos médios por compra, com R$ 446, segundo dados da empresa de pagamento eletrônico Cielo.

Fonte: Embratur

Brasil recebeu mais de 1 milhão de estrangeiros na Copa

O número de turistas estrangeiros que vieram ao Brasil para Copa do Mundo superou a marca de um milhão de visitantes. Os dados foram passados agora pelo ministro do Turismo, Vinicius Lages, em coletiva que reúne 16 ministérios e a presidente Dilma Rousseff. O número final supera a previsão do governo federal, que falava de 600 mil turistas estrangeiros durante o torneio. A previsão inicial divulgada pela Polícia Federal apontou que 690 mil turistas vieram ao Brasil em junho.

Segundo Vinicius Lages (foto), vieram turistas de 202 países, dos quais 188 Nações tinham ingressos para o Mundial, que visitaram, juntos com turistas brasileiros, 378 municípios. “Além dos estrangeiros, vale destacar que segundo a pesquisa encomendada pelo MTur, 67% dos brasileiros visitaram pela primeira vez um destino doméstico”, ressaltou Lages, reforçando que eventos como Copa do Mundo, Olimpíadas e Fórmula 1 são importantes para movimentar a economia do Brasil.

Fonte: Panrotas

Caminho do Vinho é achado rural do Paraná

Foto: MTur / Divulgação

Entre as atrações destacam-se os parreirais, a culinária típica dos italianos e o cenário bucólico do campo. O roteiro é um dos 23 selecionados pelo projeto Talentos do Brasil Rural.

Imagine-se percorrendo parreirais cultivados por descendentes de italianos e se esbaldar em restaurantes com comidas típicas, cafés coloniais e vinícolas familiares. Este é o cenário do Caminho do Vinho, um dos 23 roteiros selecionados pelo projeto Talentos do Brasil Rural, que tem por objetivo valorizar a cultura de agricultores familiares, gerar emprego e agregar valor à produção.  No total, o projeto ajudou a estruturar 400 empreendimentos de 54 municípios brasileiros.

O roteiro Caminhos do Vinho se localiza em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR). Ainda compõem o passeio atrações como um museu do vinho, a venda de produtos coloniais, um pesque e pague e uma pista de velocross, para os turistas mais animados.

Talentos do Brasil Rural é uma parceria entre os ministérios do Turismo (MTur), do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que reformulou o roteiro, integrando a agricultura familiar entre as atrações, e agregou parceiros para aperfeiçoamento a empreendimentos locais.

“É um projeto que coloca o turismo como uma atividade produtiva com capacidade de gerar pequenos negócios para comunidades rurais, valorizando o patrimônio material e imaterial de várias regiões do país”, explica o ministro do Turismo, Vinicius Lages.

Os roteiros são escolhidos por meio de chamada pública, mapeados e apresentados ao mercado turístico. Eles também receberam consultoria especializada e apoio à comercialização. Um dos requisitos para escolha é o acesso a menos de três horas de uma das capitais-sedes da Copa do Mundo, considerando meio terrestre ou aquaviário.

Acesso
O local do passeio fica a 5 km do Aeroporto Internacional Afonso Pena e a 26 km do Centro de Curitiba. O acesso pode ser pela entrada de São José dos Pinhais (Via Av. das Torres),  BR-277 e BR-116 (contorno leste). Para circular pelo roteiro, recomenda-se um veículo de passeio ou contratar um serviço de turismo receptivo. Os interessados podem comprar o passeio pela “linha turismo” com partidas aos finais de semana (sábado as 13h30 e domingo as 11h) a partir do Shopping São José, no centro de São José dos Pinhais.

Atrações
Vinícolas: Adega Bortolan, Cantina Della Mamma, Vinhos Dom Roberto Perbiche, Vinhos Don Gabriel, Vinhos Irmãos Juliatto, Vinhos do Italiano, Vinhos Laureanti, Vinhos Pissaia, Vinhos Vô Dide, Vinhos Vô Vito

Restaurantes: Bosque Italiano, Casa Laureanti, Don Gabriel, Dulce Restaurante, Frutos da Terra, Panela de Barro, Sol e Lua, Sitio Rio Pequeno, Vô João

Cafés coloniais: Casa Bela Café, Casarão Café Colonial, Dulce Café Colonial, Grimpa Verde Café colonial, Vanille Café Colonial

Outras atrações: Armazém do Mazza, Casa do Artesanato, Chácara e Pousada Bella Vite, Encantos do Jardim, Glória Doces e Salgados, Minhocário Martins, Pesk e Pague Beira Rio, Pesk e Pague do Cachimbo, Velocross, Vinhos Dom Roberto Perbiche – Museu e Samuleria Mergulhão.

Fonte: Ministério do Turismo

Culinária mineira e cenário rural atraem turistas para MG

Foto: Serra Rurais / Empyreo Destilaria / Divulgação MTur

Roteiro oferece cenário bucólico de serras para cavalgadas, visita a museus e uma variedade de quitutes e iguarias para degustação localizadas no sul de Minas, a pouco mais de uma hora da capital paulista.

Nas serras mineiras, na divisa entre Minas Gerais e São Paulo, o maior patrimônio da região são as pessoas e seus saberes. No período da Copa do Mundo, os turistas que viajarem pelo país para acompanhar os jogos estão convidados a conhecer a Serra da Mantiqueira mineira, no extremo sul do estado, que agora dispõe de um roteiro especialmente desenvolvido para esse público. Os municípios desse roteiro ficam a 160 quilômetros de distância do aeroporto de Guarulhos e são uma opção ideal para turistas brasileiros e estrangeiros que forem à capital paulista assistir ao mundial. São quatro opções de passeios, que podem ser aproveitados em um, dois ou três dias.

Os turistas que visitarem os municípios localizados nas Serras Rurais de Minas Gerais têm a possibilidade de conhecer a rotina do homem do campo em visitas ao curral para ordenha, em cavalgadas ou experimentando quitutes no café da manhã servido no casarão das fazendas. Os passeios reservam ainda outras surpresas, como conhecer os atrativos rurais naturais e degustar iguarias da região. Tudo acompanhado da conhecida hospitalidade mineira.

As Serras são um destino cativo de paulistanos que querem fugir da cidade grande aos fins de semana. Um dos pontos mais valorizados na região é a fazenda Esperança que possui um acervo histórico expressivo, composto por um casarão de 1882, um museu e muitas histórias de cinco gerações da família do proprietário. Além de ser um atrativo para o turista não habituado com a vida no campo, a fazenda dispõe de chalés e um restaurante que serve produtos feitos na propriedade, inclusive a carne de porco “na lata”, método adotado por tropeiros que usavam a banha de porco para conservar a carne.

Em Monte Verde, cidade mais famosa do roteiro, os termômetros registram 1 grau nas noites mais frias, temperatura ideal para o visitante curtir um clima de montanha, tomando vinho e comendo fondue. Conhecida como a Suíça mineira, a região concentra renomados chefs internacionais que servem delícias gourmets inspiradas na culinária mineira.

No sítio Quebelo, os turistas participam de oficinas de artesanato, esculturas ou leitura. No município de Gonçalves, famoso por suas iguarias culinárias, a empresa Senhora das Especiarias produz geleias e antepastos. No Recanto do Ipê, o turista pode tomar um café colonial com 28 itens na casa dos proprietários da fazenda, com direito a boas conversas, quitutes e quitandas disponíveis para venda.

Serras Rurais integra um conjunto de 23 roteiros elaborados ou reformulados pelo projeto Talentos do Brasil Rural, que inclui a agricultura familiar entre as principais atrações. O trabalho é resultado de uma parceria entre o Sebrae e os ministérios do Turismo e do Desenvolvimento Agrário.

Os roteiros, escolhidos por meio de chamada pública, foram mapeados, apresentados ao mercado turístico, receberam consultoria especializada e apoio à comercialização. Um dos requisitos para a escolha foi a proximidade das cidades-sede, de modo que não fiquem a mais de três horas das capitais dos jogos, considerando meio terrestre ou aquaviário.

Os programas turísticos são compostos por empreendimentos da agricultura familiar, que valorizam a identidade cultural da região, promovem a geração de emprego e renda e agregam valor à produção de grupos locais. Cerca de 400 empreendimentos em 54 municípios fazem parte do projeto.

Serviço

Rota da Cachaça
Indicada para pessoas interessadas em conhecer o processo de produção da cachaça desde a plantação da cana-de-açúcar. Dá ao visitante a possibilidade de experimentar e levar para casa diferentes marcas de destilados de várias cidades da região, além de produtos feitos a partir da cachaça. O passeio tem duração de um ou três dias, a depender do interesse do cliente.

Recantos Rurais – Monte Verde Rural
Monte Verde já é um destino conhecido, mas ofertado com novas experiências rurais, como passeio a cavalo, visitas a entrepostos de produção e gastronomia rural pode ficar ainda melhor. Ver o cultivo de frutas vermelhas, de ervas ou de trutas, provar da hospitalidade mineira em um almoço caseiro ou conhecer os encantos da Fazenda Esperança estão entre os atrativos desse roteiro. É possível também passar por uma reserva de samambaiaçu, uma planta ameaçada de extinção, e conhecer um moinho de pedra. Isso tudo sem deixar de visitar os encantos da vila de Monte Verde, num agradável passeio de dois dias, indicado para casais, famílias ou grupos de até 15 pessoas.

Rota Fernão Dias – Na Trilha Bandeirante
Em dois dias de passeio o visitante interessado em vivenciar a ruralidade e o modo de vida do interior de Minas Gerais terá a oportunidade de adentrar por sítios e fazendas começando por Extrema, cidade que separa os estados Minas e São Paulo. No Recanto do Ipê será possível tomar um “Café Mineiro, Uai”, antes de conhecer cachoeiras da região. Mas o turista também pode ver a produção de morangos orgânicos, conhecer um alambique e comer um leitão à pururuca.

Minas Gourmet nas Serras Rurais
Ofertado ao público interessado em conhecer experts gourmets locais, produção orgânica e agricultores familiares, com a possibilidade de experimentar tradicionais receitas rurais, bem como pratos mais elaborados. Envolve experiências como um passeio de “trenzinho” puxado por trator, o conhecimento da criação de trutas, uma cavalgada e a participação em uma oficina de geleias, além de contato com a natureza. No Bar Libertas será possível conhecer o Thiana, um agricultor e chef de cozinha com muita história para contar. Pode ser ofertado em 1 ou 3 dias, com a possibilidade de hospedagem em pousadas de charme em Extrema, Cambuí ou Gonçalves.

Acesso: 160 km de São Paulo (Aeroporto de Guarulhos)

Saindo de São Paulo, o acesso é feito pela Rodovia Fernão Dias (BR 381), sentido Belo Horizonte. Os municípios de Extrema, Camanducaia e Cambuí ficam ao longo da rodovia e os demais pontos do roteiro também podem ser alcançados a partir dela. Se o destino for Gonçalves, há a opção de acesso asfaltado pela Rodovia Carvalho Pinto no sentido Campos do Jordão, passando por Santo Antônio do Pinhal até Gonçalves.

Para circular pelo roteiro recomenda-se dispor de um veículo de passeio ou contratar um serviço de turismo receptivo, sendo necessária a reserva antecipada.

Municípios incluídos
Camanducaia (inclusive Monte Verde), Cambuí, Extrema, Gonçalves, Córrego do Bom Jesus, Itapeva, Bom Repouso, Pouso Alegre e Senador Amaral

Comercialização
Os roteiros são comercializados pelo receptivo local em duas opções:

1) com guia local, partindo de Cambuí
2) sem guia local, em veículo próprio, a partir de voucher de viagem emitido pelo receptivo local, que oferece o suporte necessário.

Cambuí Adventure: (35) 3431-1230
isiscambui@hotmail.com
www.cambuiadventure.com.br

Experiências recomendadas: Cesta de café da manhã. O roteiro preparou uma cesta de café da manhã com 12 produtos da região para os turistas levarem para casa.

1. Geleias, Chutney´s e Antepastos de “A Senhora das Especiarias” de Gonçalves
2. Cachaças e Licores do Alambique JJ de Extrema
3. Cervejas da Cervejaria Fritz de Camanducaia/Monte Verde
4. Doces Serra Verde de Cambuí
5. Doces Portão de Cambuí
6. Cachaças e Cachaças Aromatizadas Empyreo Destilaria de Extrema
7. Doces de Frutas Vermelhas e Leite Fazenda Grande de Pouso Alegre
8. Queijos especiais Laticínio Morada do Sol de Senador Amaral
9. Geleias do Recanto do Ipê de Extrema
10. Cachaça Capela de Cambuí
11. Balas de Gengibre do Sítio Quebello de Itapeva
12. Antepastos de Umbigo de Banana de Virgínia Coelho

Fonte: Ministério do Turismo

Inverno também é época de praia no Interior

Em Olímpia, águas termais e proximidade com grandes centros favorecem a escolha do município pelos turistas, inclusive na época mais fria do ano

Foto: Hot Beach Olímpia / Divulgação

Nem só de frio e chuva é feito o turismo de inverno no Brasil. E para aqueles que buscam um lugar ao sol no período mais nebuloso do ano, Olímpia, localizada a 438 quilômetros da capital paulista, tem sido um dos destinos favoritos. Entre os principais atrativos estão as águas quentes e a temperatura que tende a permanecer em alta, inclusive nos meses de junho, julho e agosto. Outro fator que vem conquistando os turistas de todo o País é o custo-benefício, já que a cidade vem sendo uma alternativa aos destinos mais procurados na região Nordeste do Brasil.

Em pesquisa divulgada pelo Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo (Sindetur-SP) em 2013, o Nordeste ainda é o destino mais procurado durante o inverno, com 45% de preferência dos entrevistados. Já a região Sul, opção para aqueles que gostam de frio, ficou na segunda posição, com 26,8% das menções, seguido de perto pela região Sudeste, com 22,5%.

Segundo Paulo Duarte, diretor de turismo da Prefeitura de Olímpia, o brasileiro ainda está descobrindo Olímpia, que chama a atenção por estar perto dos grandes centros das regiões Sul e Sudeste, com fácil acesso e rodovias em boas condições e a um custo razoável. “Por tudo isso, consideramos julho como alta temporada, haja vista o fluxo de turistas, que é bastante expressivo. Em virtude das temperaturas relativamente altas, Olímpia é sim uma opção para quem gosta do calor e quer fugir do frio”, acrescenta.

O diretor completa que além das águas quentes, a tranquilidade do município é outro ponto forte de Olímpia. “Temos sol o ano inteiro, as pessoas conseguem relaxar e aproveitar bem o período de férias escolares, é uma cidade prazerosa, com pessoas receptivas e com uma gastronomia interessante. Estamos mudando aos poucos o hábito do turista, atraindo aqueles que costumeiramente procuram como destino uma praia”. Duarte espera que somente neste ano a cidade receba cerca de 2 milhões de turistas, 20% a mais que em 2013.

Novos investimentos

Com a construção de dois novos empreendimentos turísticos do Grupo Ferrasa – empresa fundada há 35 anos, da sociedade Ferrato e Sant’Anna – um parque aquático e um moderno resort, ambos em fase adiantada de obras, Olímpia potencializará o turismo de inverno no município. O Hot Beach Diversões Aquáticas e o Hot Beach Resort Olímpia estão em construção em uma área de 140 mil m². Entre os atrativos que o parque irá oferecer estão praias artificiais com areia, piscinas com onda e água quente, bares pé na areia, rio lento de água quente, restaurantes, lojas e estruturas completas pra diversão.

Sérgio Ney Padilha Garcia, gestor do empreendimento Hot Beach Diversões Aquáticas e Hot Beach Resort Olímpia, ressalta que o novo complexo terá novas e diferentes opções de lazer. “Há quem goste e quem não goste de inverno. Nestes dias mais frios do ano, Olímpia se mantém aquecida na temperatura e no turismo. O Hot Beach vem para oferecer novas opções de entretenimento em qualquer estação climática”, ressalta o gestor.

A previsão de inauguração do novo complexo de lazer é para 2016. O investimento no projeto é estimado em R$ 130 milhões.

Procura por aéreo para Brasil aumenta 182% na Holanda

Foto: Panrotas / Internet

Com a boa campanha da Holanda na Copa do Mundo, o número de torcedores do país europeu atrás de passagens aéreas para o Brasil aumentou em 182% nos últimos dias. Os dados são do site de pesquisas on-line Skyscanner. Adversários dos holandeses no jogo de amanhã, os costarriquenhos são o segundo da lista, com 141%, seguidos pelos belgas, com 106%.

Dos outros países presentes nas quartas-de-final, que começam hoje, a Alemanha teve um crescimento de 55% na busca por passagens, seguida por Argentina e França, ambas com 11%, e o adversário do Brasil, Colômbia, com 5% de aumento. Os dados analisados compreendem o período entre 10 de junho e 1º de julho.

Fonte: Panrotas

Aeroportos brasileiros têm mais de 7,6 mi paxs na Copa

Foto: Bruno Dantas

Os aeroportos brasileiros já receberam mais de 7,6 milhões de pessoas desde a abertura da Copa do Mundo. Segundo dados da Secretaria de Aviação Civil, a média de movimentação da segunda semana do Mundial aumentou de 471 mil viajantes para 487 mil pessoas. Até o final da competição, 3,1 milhões de estrangeiros e 600 mil brasileiros devem circular pelo País, de acordo com o Ministério do Turismo (MTur).

Na véspera do jogo entre Brasil e Chile (26), pelas oitavas de final da Copa, o movimento nos 20 principais aeroportos do País bateu um novo recorde: 528 mil pessoas circulação. Desde o dia 12 de junho, o aeroporto de Guarulhos foi o terminal que recebeu o maior índice de passageiros, com cerca de 123 mil em um único dia, sendo sete mil em apenas uma hora, segundo dados da Secretaria de Aviação Civil.

MEIO DE TRANSPORTE
Outros dados apresentados pelo MTur revelam que o avião é o principal meio de transporte dos brasileiros atendendo 60,2% dos entrevistados que manifestaram intenção positiva de viajar nos próximos seis meses. Entre as capitais monitoradas pelo órgão, o destaque é Brasília, com 78,8% dos moradores declarando intenção de utilizar avião. Na sequência estão as cidades de Belo Horizonte (72,3%), Recife (65,7%) Salvador (62,5%), Porto Alegre (60,2%), São Paulo (57,3%) e Rio de Janeiro (28,3%).

Fonte: Panrotas